top of page
Buscar
  • Foto do escritorAdministrador

Ricardo Moura vence Azores Rallye entre os pilotos açorianos

Atualizado: 7 de abr. de 2023


Ricardo MOURA e António COSTA (Skoda Fabia Rally2 Evo, ARC Sport) no momento da consagração como vencedores do Azores Rallye para o campeonato regional. Foto Liliana Gomes (Think About It)

A contar igualmente para o Tour European Rally Series, a 57.ª edição do Azores Rallye foi a primeira prova de sete, do calendário desportivo do Campeonato dos Açores de Ralis. Contando com vinte pilotos locais inscritos e já com algumas “baixas” resultantes de um primeiro dia exigente, como é apanágio desta prova, o segundo dia voltou a ser uma prova num misto de “endurance” e rali “sprint”, obrigando aos pilotos e equipas a prever o que se passaria a cada metro dos troços, onde se incluíam Tronqueira e Graminhais.


No computo das 12 provas especiais que compunham o itinerário deste Azores Rallye, foi Ricardo Moura e António Costa a vencer, a prova, somando 1:19:37.8, e a convencer todos que ainda formam uma enorme equipa, apesar de Ricardo Moura não ter feito mais nenhum rali desde a edição de 2022 do Azores Rallye, que também esteve à beira de vencer.


Os atuais campeões absolutos de ralis dos Açores, Luís Miguel Rego e Jorge Henriques, realizaram uma prova imaculada, terminando no segundo posto da classificação entre os açorianos, a apenas 37,7 segundos de Moura/Costa. Rego e Henriques imprimiram um forte andamento sem entrar nos “alaridos” das lutas à geral e o resultado foi mesmo este segundo lugar, com sabor a quase vitória.


Na estreia do Skoda Fabia Rally2 Evo, a sério, depois de verem lograda a estreia no Rali Vieira do Minho, Rúben e Estevão Rodrigues concluíram este rali no terceiro posto entre os locais, terminando a 1:22,5 dos vencedores.


Com azar estiveram as duas duplas que se seguem na classificação entre os pilotos locais. Começamos por falar de Pedro e João Câmara (Citroen C3 Rally2) que efetuaram uma prova digna de registo mas que, no primeiro dia, deixarem o seu carro ir abaixo em Grupo Marques e com isso, perderem imenso tempo, e depois no segundo, terem perdido no jogo da lotaria de pneus, salvou a “honra do convento” o quarto posto final, mas fica a certeza que a equipa tem um mindset diferente para 2023. O outro azarado foi Bruno Amaral, acompanhado por Sancho Eiró, em Ford Fiesta R5, nas últimas duas especiais viu o escape do seu carro partir-se e, a partir daí, foi perder tempo bastante que custou a ganhar no decorrer dos dois dias. Terminou no quinto posto final.



Bruno TAVARES e André SEABRA (Citroen C2 R2 Max) vencem "duas rodas motrizes" no Azores Rallye. Fotografia Liliana Gomes (Think About It)

No sexto posto da classificação entre os açorianos, ficou o vencedor da competição reservada às “duas rodas motrizes” açorianas. Bruno Tavares e André Seabra conduziram o seu Citroen C2 R2 Max de forma irrepreensível e conquistaram uma saborosa vitória na competição, começando assim e da melhor forma, a defesa do título que ostentam. No segundo posto da competição terminaram Rúben Santos e Nuno Pereira, em Peugeot 106, depois de uma luta travada “a sério” com os terceiros classificados finais. No decorrer do segundo dia, Santos e Pereira foram superiorizando-se aos adversários e conseguiram um brilhante segundo lugar. Marco Soares e Fernando Nunes, em Citroen Saxo Cup, foram pertinentes o suficiente para serem protagonistas de um dos maiores focos de interesse neste rali, no que às 2RM regionais concerne. Terminaram no lugar mais baixo do pódio no que a essa competição diz respeito. Das duas duplas provenientes da ilha Terceira que escolheram participar neste rali, foi Carlos Andrade e Paulo Jesus, em Renault Clio RS a concluir, terminando no quarto posto das 2RM dos Açores. Adriano Medeiros e Mateus Bettencourt estrearam da melhor forma o Peugeot 206 com que alinharam neste rali, terminando a prova no 10.º posto da classificação entre os açorianos, e no 5.º posto das 2RM. Concluiram ainda esta prova mais quatro formações açorianas, a saber Filipe Tavares e Ricardo Chaves, em Toyota Yaris, João Faria e Tomás Vultão, em Peugeot 206 RC, João Torres e João Reis, em Toyota RAV4, e David Paiva e Emanuel Cabral, em Peugeot 306 GTI.


No que diz respeito à powerstage disputada na PE12 Ribeira Grande 2, Luís Miguel Rego vence, sendo mais rápido que Ricardo Moura em 0,4 segundos. Rúben Rodrigues sobe ao lugar mais baixo do pódio nesta classificativa, em específico, gastando mais 5,9 segundos que Moura.


A próxima prova do Campeonato dos Açores de Ralis é o XXXIV Além Mar Rali Ilha Azul que se realiza na ilha do Faial entre 21 e 22 de abril.


CLASSIFICAÇÃO FINAL 57TH AZORES RALLYE (C.A.R.)

1 R. MOURA/A. Costa 1:19:37.8

2 L. M. REGO/J. Henriques +37.3

3 R. RODRIGUES/E. Rodrigues +1:22.5

4 P. CÂMARA/J. Câmara +2:00.9

5 B. AMARAL/S. Eiró +8:14.0

6 B. TAVARES/A. Seabra +16:12.2

7 R. SANTOS/N. Pereira +20:05.3

8 M. SOARES/F. Nunes +21:23.5

9 C. ANDRADE/P. Jesus +23:32.7

10 A. MEDEIROS/M. Bettencourt+28:50.3

11 F. TAVARES/R. Chaves +31:27.7

12 J. FARIA/T. Vultão +33:17.5

13 J. TORRES/J. Reis +39:34.2

14 D. PAIVA/E. Cabral +41:07.4

10 visualizações0 comentário
bottom of page